sábado, 16 de abril de 2011

Uma História de Amor!

Uma história de amor!
“E, sobre tudo isto, revesti-vos de amor, que é o vínculo da perfeição”. Colossenses 3:14.
Nós gostamos de romantismo, histórias de amor. Até os mais brutos dos homens possuem escondidos dentro de si um grande amor, muitas vezes apagado ou adormecido pelas circunstâncias impostas pela vida.
É interessante notar que o homem explora esse sentimento nas histórias de livros, desenhos e filmes. Tragédia como a do navio Titanic foi amenizada com o amor entre um casal, dramatizado nas telas do cinema. O holocausto, onde os judeus foram mortos, julgados menos do que nada, foi amenizado com histórias de pessoas que foram salvas por amor fraternal de alguns poucos, também dramatizado nas telas de cinema.
Toda a história que o homem escreve, dramatiza ou canta possui um romantismo. É apresentado o amor entre irmãos, amigos, família, casal.
A Bíblia é um livro incrível, cheio de poesia e histórias, diálogos, narrações, parábolas, etc. Na criação encontramos a bondade de Deus, onde tudo que criou era muito bom, inclusive o homem. O criador entregou toda a criação para que o homem, como mordomo, administrasse. “E Deus os abençoou, e Deus lhes disse: Frutificai e multiplicai-vos, e enchei a terra, e sujeitai-a; e dominai sobre os peixes do mar e sobre as aves dos céus, e sobre todo o animal que se move sobre a terra” – Gênesis 1:28.
Em seguida encontramos a conspiração do mal contra o bem, a queda do homem. “E ordenou o SENHOR Deus ao homem, dizendo: De toda a árvore do jardim comerás livremente, Mas da árvore do conhecimento do bem e do mal, dela não comerás; porque no dia em que dela comeres, certamente morrerás”... “E viu a mulher que aquela árvore era boa para se comer, e agradável aos olhos, e árvore desejável para dar entendimento; tomou do seu fruto, e comeu, e deu também a seu marido, e ele comeu com ela” – Gênesis 2:16,17; Gênesis 3:6). A história continua com a origem de um povo que foi escravizado e liberto, onde houve guerras e rumores de guerras, vitórias e derrotas. Homens incríveis são movidos pela fé, corajosos e ousados. Em contraste, outros são de má índole, presunçosos e arrogantes.
Reinos e reis se levantam e caem, muros que se constroem e muros que se desmoronam, soldados bravos e covardes. Períodos de fome e fartura, avivamento e morbidez, luz e trevas. Contrastes sempre visíveis do princípio aos dias atuais.
Mas o fato mais importante em todo o decorrer da história seja passado, presente ou futuro, já está escrito no romance mais belo, nas linhas das Sagradas Escrituras. Nelas encontramos o coração de Deus cheio de amor. Vemos sua revelação através de ações, expressões demostradas no Seu plano através da história e Seu soberano poder buscando incessantemente o homem para salvação. O amor de Deus é o amor “ágape”, o amor perfeito.
Destacaremos algumas ações de Deus demonstrando o seu amor. Ações das quais devemos imitá-lo.
Através de quais ações Deus demonstra Seu amor?
1. Renúncia – Filipenses 2:5-8.
“De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, Que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus, Mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens; E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz” – Filipenses 2:5-8.
Em toda história bíblica encontramos Deus revelando seu filho Jesus. Há coisas que não tem explicação, como a trindade, apenas cremos. Deus Pai, Deus Filho e Deus Espírito Santo que formam um único Deus, uma única pessoa.
Deus criou todas as coisas pelo poder de Sua Palavra. Constituiu um povo para si, o povo de Israel. Através de Israel trouxe o Messias, o Senhor Jesus Cristo, o Filho de Deus.
Imaginem! O próprio Deus enviou o seu Filho para salvar o homem do pecado. Jesus “sendo em forma de Deus”, ou seja, o próprio Deus onisciente, onipotente, onipresente, “esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens”. (Filipenses 2:6,7). Deixou Sua glória por amor de nós, pecadores.
Jesus Cristo renunciou a si mesmo e se entregou por amor. A lição fundamental do amor de Cristo é que devemos desistir de nossos próprios desejos pelo bem do outro. “Achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até a morte, e morte de cruz” – Filipense 2:8.
O pior tipo de morte existente, a morte de cruz, sujeitou-se Jesus. Ele não causou o nosso problema de pecado, mas Ele sacrificou-se para prover solução para o problema do pecado, onde a Bíblia diz: “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” – João 3:16.
Somos exortados a recebê-lo como Senhor e Salvador de nossas vidas e que haja em nós o mesmo sentimento que houve em Jesus Cristo, renúncia.
Através de quais ações Deus demonstra Seu amor?
2. Dedicação – Romanos 5:5-11.
 “E a esperança não traz confusão, porquanto o amor de Deus está derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado. Porque Cristo, estando nós ainda fracos, morreu a seu tempo pelos ímpios. Porque apenas alguém morrerá por um justo; pois poderá ser que pelo bom alguém ouse morrer. Mas Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores. Logo muito mais agora, tendo sido justificados pelo seu sangue, seremos por ele salvos da ira. Porque se nós, sendo inimigos, fomos reconciliados com Deus pela morte de seu Filho, muito mais, tendo sido já reconciliados, seremos salvos pela sua vida. E não somente isto, mas também nos gloriamos em Deus por nosso Senhor Jesus Cristo, pelo qual agora alcançamos a reconciliação.” Romanos 5:5-11.
Quando falamos de amor não podemos deixar de enfatizar a dedicação. Secularmente, quando as pessoas dizem amar alguém, dedicam tempo e dinheiro para conquistar o outro. Infelizmente, muitas vezes observamos uma busca egoísta para conseguir apenas o interesse próprio. Depois que conseguiu o que quer vem o desinteresse pelo outro.
No amor de Deus é diferente porque visa à alma do homem. Jesus Cristo vem sendo anunciado desde o Gênesis na promessa do Salvador, que veio no transcorrer da história, sendo descrito nas Escrituras a Sua morte e vitória sobre a morte.
Jesus cumpriu plenamente a vontade de Deus Pai, não atentou para si mesmo, mas para nós, pecadores. “Mas Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores” – Romanos 5:8.
Observamos que Jesus Cristo cumpriu com dedicação o plano de Deus para reconciliar consigo mesmo o homem. “Porque se nós, sendo inimigos, fomos reconciliados com Deus pela morte de seu Filho, muito mais, tendo sido já reconciliados, seremos salvos pela sua vida” – Romanos 5:10.
Através de quais ações Deus demonstra Seu amor?
3. Comunhão – 1ª João 1:1-7.
“O QUE era desde o princípio, o que ouvimos, o que vimos com os nossos olhos, o que temos contemplado, e as nossas mãos tocaram da Palavra da vida (Porque a vida foi manifestada, e nós a vimos, e testificamos dela, e vos anunciamos a vida eterna, que estava com o Pai, e nos foi manifestada); O que vimos e ouvimos, isso vos anunciamos, para que também tenhais comunhão conosco; e a nossa comunhão é com o Pai, e com seu Filho Jesus Cristo. Estas coisas vos escrevemos, para que o vosso gozo se cumpra. E esta é a mensagem que dele ouvimos, e vos anunciamos: que Deus é luz, e não há nele trevas nenhumas. Se dissermos que temos comunhão com ele, e andarmos em trevas, mentimos, e não praticamos a verdade. Mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo o pecado”. 1ª João 1:1-7.
É interessante pensar que quando estamos interessados em alguém queremos estar juntos. Pais com filhos, irmãos, amigos, casais de namorados, cônjuges, possuem uma comum união. Quanto mais tempo juntos, mais afinidade, mais carinho, mais amor, mais dedicação, mais renúncia, mais em comum.
Uma vez conhecedores de Jesus Cristo, do benefício de Seu amor, devemos querer estar junto dele. Conhecer melhor o Salvador Jesus, pensar nas coisas que Ele pensa, ter o mesmo sentimento, desenvolver o mesmo amor.
O gozo, a paz só pode ser completa em união com o Salvador Jesus. “Mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo o pecado”... “Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça” – 1ª João 1:7,9.
Conclusão
Jesus Cristo renunciou sua vida, dedicou-se a você, pecador e agora quer ter comunhão com você. Para isso, é preciso que você o receba como Salvador e Senhor de sua vida e assim como Ele fez, renuncie seus desejos e dedique-se a Ele servindo-o com todo o amor com que Ele o amou.
Pr. Renato – Email: luisrd@ig.com.br ou luisrd.renato@gmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário